A importância do exame papanicolau na saúde da mulher.

Autores

  • Aliciane da Silva Moreira
  • Erci Gaspar da Silva Andrade

Resumo

 

O câncer do colo do útero é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres, sendo responsável pelo óbito de aproximadamente 230 mil mulheres por ano. No Brasil, as estimativas para o ano de 2010, apontam 18.430 casos novos de câncer do colo uterino. Os tipos mais incidentes no sexo feminino é o câncer de mama e de colo do útero, acompanhando o mesmo perfil da magnitude observada no mundo. O presente estudo se justifica pelas altas taxas de mortalidades no Brasil em decorrência do diagnostico tardio de câncer de colo de útero, sendo que este tipo de câncer pode ser facilmente diagnosticado e apresenta altas taxas de cura quando realizado precocemente. Os profissionais de enfermagem devem estar qualificados para. O objetivo desta pesquisa é analisar os fatores relacionados a não adesão do exame preventivo do exame Papanicolau bem como analisar os fatores de riscos que podem desenvolver o câncer do colo do útero. Trata-se de um estudo transversal quanti-qualitativa no PSF do novo gama, Goiás. Foi observado que a maioria das mulheres apresentam medo, vergonha e até mesmo falta de informação sobre a importância do exame Papanicolau.

Descritores: Prevenção; Mulher; Papanicolau.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

Rodrigues AMX, Barbosa ML, Matos MDLP. Importância do exame papanicolau no diagnóstico precoce de câncer do colo do útero. Rev Multiprof Saúde Hosp São Marcos. 2013; 1(1):58-65.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Controle dos cânceres do colo do útero e da mama. 2ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Maciel AAA. Procura por cuidado de saúde: o papel das crenças e percepções de mulheres na vivência do processo saúde-doença. [tese de doutorado]. São Paulo (SP): Faculdade de Saúde Pública/ USP; 1999.

Dualy L M, Batista F L R, Jorge M S B, et al. A percepção da mulher sobre o exame preventivo do câncer cérvico-uterino: estudo de caso. Cienc Saude Colet 2007; 12 (3): 733-42.

Merighi MAB, Harmano L, Cavalcante LG. O exame preventivo do câncer cérvico-uterino: conhecimento e significado para funcionárias de uma escola de enfermagem de uma instituição pública. Rev Esc Enferm USP 2002; 36(3): 289-96.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Caderno de Atenção Básica, n.13. Controle dos casos de câncer do colo do útero e da mama. Brasília: Ministério da Saúde; 2006

Oliveira MH, Silva AAM, Brito LMO, Coimbra LC. Cobertura e fatores associados à não realização do exame preventivo de Papanicolaou em São Luís, Maranhão. Rev. bras. epidemiol. 2006;9(3):325-334.

Medeiros VCD, Medeiros RC, Moraes LM, Menezes JBF, Ramos ESN, Saturnino ACR. Câncer de colo de útero: análise epidemiológica e citopatológica no estado do Rio Grande do Norte. Rev Bras Anal Clin. 2005; 37(4): 227-31.

Feitosa TMP, Almeida RT. Perfil de produção de exame citopatologico para controle do câncer do colo do útero em Minas Gerais Brasil em 2002.Cad Saúde Publica. 2007; 23(4): 907-17.

Mulher EV, Biazevic MGH, Antunes JLF, Crosato EM. Tendencias diferenciais socioeconômicos e mortalidade por câncer decolo de útero no Estado do para (Brasil),1980-2000. Cienc saude coletiva. 2011; 16(5): 2495-500.

Brenna SMF, Hardy E, Zeferino LC, Namura I. Conhecimento, atitude e prática do exame de Papanicolaou em mulheres com câncer de colo uterino. Cad Saude Publica. 2001;17(4):909-14.

Jorge RJB, Diógenes MAR, Mendonça AFC, Sampaio LRL, Jorge JR. Exame Papanicolaou: sentimentos relatados por profissionais de enfermagem ao se submeterem a esse exame Ciênc. saúde coletiva. 2011;16(5): 2443-51.

Scarpari DR, Como é realizado o exame preventivo feminino, 2017.

Ferreira MLM, Oliveira C. Conhecimento e significado para funcionárias de indústrias têxteis sobre prevenção do câncer do colo-uterino e detecção precoce do câncer da mama. Rev Bras Cancerol. 2006 jan-mar;52(1):5-15

LM, Batista FLR, Jorge MSB, Santos JBF. A percepção da mulher sobre o exame preventivo do câncer cérvico-uterino: estudo de caso. Cien Saude Colet 2007; 12(3):733-742.

Silva DW, Andrade SM, Soares DA, Schneck CA, Lopes MLS. Cobertura e Fatores Associados com a Realização do Exame Papanicolau em município do Sul do Brasil. Rev. Bras. Ginecol. Obstet.; 2006; 28(1): 2431.

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Caderno de Atenção Primária: Rastreamento. Brasília, 2010.

SMF, Hardy E, Zeferino LC, Namura I. Conhecimento, atitude e prática do exame de Papanicolaou em mulheres com câncer de colo uterino. Cad. Saúde Pública; 2001; 17(4): 909-14.

LM, Batista FLR, Jorge MSB, Santos JBF. A percepção da mulher sobre o exame preventivo do câncer cérvico-uterino: estudo de caso. Cien Saude Colet 2007; 12(3):733-742.

Oliveira MM, Pinto IC. Percepção das usuárias sobre as ações de prevenção do câncer do colo do útero na Estratégia Saúde da Família em uma Distrital de Saúde do município de Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2007; 7 (1): 31-8.

Downloads

Publicado

2018-09-14

Como Citar

1.
A importância do exame papanicolau na saúde da mulher. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 14º de setembro de 2018 [citado 4º de março de 2024];1(Esp 3):267-71. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/94

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>