A relevância do docente na formação do enfermeiro

Resumo

A educação atualmente é vista como instrumento responsável pela modificação do ser humano em sua maneira de pensar e agir. Diante isto, o docente, enquanto educador passa a ser visto como o responsável pela formação do ser social e da identidade do indivíduo. A educação permanente faz com que o profissional busque conhecimentos característicos e científicos para que toda dimensão teórica existente, possa ser tecnicamente favorável ao benefício de uma assistência de qualidade e na formação de futuros profissionais promissores. O objetivo geral deste estudo é o de compreender a relevância do docente na formação do enfermeiro, além de verificar os valores atribuídos pelos enfermeiros à função de educador e docente do profissional de enfermagem. Este trabalho consiste de um estudo exploratório e descritivo, realizado por meio de uma revisão de literatura. O mercado de trabalho espera que o enfermeiro, seja ele da área hospitalar ou educacional, tenha competência para trabalhar nas mais amplas magnitudes. Assim conclui-se que a qualidade do ensino esta propondo desenvolvimento panos e metas.

Descritores: Enfermagem; Docente; Graduação; Formação.

Referências

Domenico EBL, Ide CAC. Referência para o ensino de competências na enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem. 2005; 58(4). Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reben/v58n4/a14v58n4.pdf>. Acesso em: 05. jul. 2016.

Taylor C, Lillis C, Lemone P. Fundamentos de Enfermagem. A arte e a ciência do cuidado de enfermagem. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2007.

Chalita G. Educação: a solução está no afeto. São Paulo: Gente; 2012.

Cunha MI. O bom professor e sua prática. 3ª ed. São Paulo: Papirus; 2012.

Brasil, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução (1 e 2 ciclos). Vol. 1. Brasília: Ministério da Educação e Cultura; 2008.

Pereira ALF. As tendências pedagógicas e a prática educativa nas ciências da saúde. Cad. Saúde Pública. 2010; 19(5). Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/csp/v19n5/17825.pdf>. Acesso em: 05. jul. 2016.

Brasil, Ministério da Educação e Cultura. Lei Nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996: Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Ministério da Educação e Cultura; 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 05. mar. 2017.

Marconi MA, Lakatos EM. Técnicas de Pesquisa. 5ª ed. São Paulo: Atlas; 2008.

Cruz C, Ribeiro U. Metodologia cientifica: teoria e prática. Rio de Janeiro: Axcel books do Brasil; 2008.

Pinhel I, Kurcgant P. Reflexões sobre competência docente no ensino de enfermagem. Rev. esc. enferm. 2007; 41(4). Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v41n4/23.pdf>. Acesso em: 05. jul. 2016.

Rodrigues MTP, Sobrinho JACM. Obstáculos didáticos no cotidiano da prática pedagógica do enfermeiro professor. Rev. Bras. Enferm. 2008; 61(4). Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reben/v61n4/06.pdf>. Acesso em: 05. jul. 2016.

Castro MRO. A Valorização Docente na Perspectiva Histórica e Atual. Revista Virtual de Iniciação Acadêmica da UFPA. 2010; 1(1). Disponível em: <http://www2.ufpa.br/rcientifica/ed_anteriores/pdf/ed_01_mroc.pdf>. Acesso em: 05. jul. 2016.

Backes D, et al. A prática do ensinar e aprender administração em enfermagem com base na metodologia freireana. ONLINE BRAZILIAN JOURNAM OF NURSING. 2007; 6(1). Disponível em: <http://www.uff.br/objnursing/index.php/nursing/article/viewArticle/659/155>. Acesso em: 05. mar. 2017.

Brasil. Resolução CNE/CES Nº 3, de 7 de novembro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. 2001. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 26. nov. 2016.

Fernandes CNS. Refletindo Sobre o Aprendizado do Papel de Educador no Processo de Formação do Enfermeiro. Rev Latino-am Enfermagem. 2004; 12(4). Disponível em: <http://www.scielo.br/pdff>. Acesso em: 05. jul. 2016.

Tosi MR. Didática Geral: um olhar para o futuro. 3ª ed. Campinas: Editora Alínea; 2003.

Garanhan I, Valle MC, Elizabeth RMO. Educação em Enfermagem: análise existencial em um currículo integrado sob o olhar de Heidegger. 1ª ed. Londrina: Eduel Editora da Universidade Estadual de Londrina; 2010. (1):159-88.

Aranha ML. História da educação. 3ª ed. São Paulo: Moderna; 2006.

Freire P. A concepção problematizadora da educação. 2008. Disponível em: <http://www.centrorefeducacional.com.br/paulo1.html>. Acesso em: 03 de jan. 2017.

Pinho LMO, Barbosa MA. A relação docente-acadêmico no enfrentamento do morrer. Rev. esc. enferm. 2010; 44(1). Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v44n1/a15v44n1.pdf>. Acesso em: 03 de jan. 2017.

Vale EG, Guedes MVC. Competências e habilidades no ensino de educação em enfermagem à luz das diretrizes curriculares nacionais. Rev. Bras. Enferm. 2004; 57(4): 475-88. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reben/v57n4/v57n4a18.pdf>. Acesso em: 03 de jan. 2017.

Macedo CKNF, et al. Enfermeiro-docente: aspectos inter-relacionados com sua formação. Enferm. Glob. 2010;19.Disponível em: <http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S169561412010000200017&lng=es>. Acesso em: 03 de jan. 2017.

Backes DS, et al. Repensando o ser enfermeiro docente na perspectiva do pensamento complexo. Rev. bras. Enferm. 2010; 63(3). Disponível em: <http://www.scielo.br>. Acesso em: 05. mar. 2017.

Sales JF. Gestão de aprendizagem numa visão psicopedagógica. Associação Brasileira de Psicopedagogia. 2010.

Azevedo QM, Lima LF, Silva AT. Teoria da aprendizagem e ensino das ciências. 2008.

Friedlander MR, Moreira MTA. Formação do enfermeiro: características do professor e o sucesso escolar. Rev. bras. enferm. 2006; 59(1): 9-13. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672006000100002&lng=en>. Acesso em: 29 de abr. 2017

Ferreira EM, et al. Prazer e sofrimento no processo de trabalho do enfermeiro docente. Rev. esc. enferm. 2009; 43(2): 1292-6. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php>. Acesso em: 29 de abr. 2017.

Terra MG, et al. O dito e o não-dito do ser-docente-enfermeiro/a na compreensão da sensibilidade. Rev. bras. enferm. 2008; 61(5): 558-64. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S003471672008000500005&lng=en>. Acesso em: 29 de abr. 2017.

Sardo PMG, Dal Sasso GTM. Aprendizagem baseada em problemas em ressuscitação cardiopulmonar: suporte básico de vida. Rev. esc. enferm. 2008; 42(4). Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo>. Acesso em: 29 de abr. 2017.

Publicado
2018-07-20
Como Citar
1.
Arantes AA, Santos Neto EC dos, Camargo LGA, Moraes Filho IM de, Santos OP dos, Caetano SR de S. A relevância do docente na formação do enfermeiro. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 20º de julho de 2018 [citado 12º de novembro de 2019];1(Esp):193-01. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/76

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

<< < 1 2