Academia ao ar livre como estratégia para a promoção de saúde da população da terceira idade

Resumo

A velhice é uma etapa vital que, atualmente vem sendo prolongada, mas, as limitações interferem na qualidade de vida do idoso em frente a alguns desafios, como a perda progressiva de aptidões físicas e capacidade funcional; aumentando o risco do sedentarismo, que limita a capacidade do idoso para realizar, com vigor, as suas atividades do cotidiano e colocam em maior vulnerabilidade a sua saúde e aptidão física. No objetivo buscou-se compreender e analisar a contribuição das academias ao ar livre como estratégias para a promoção da saúde e qualidade de vida de usuários e para a população da terceira idade. Como método de estudo optou-se por pesquisa bibliográfica qualitativa de forma descritiva. Identificou-se que no sentido de uma “Promoção do Envelhecimento Saudável”, a academia ao ar livre pode contribuir para com essas mudanças ajudando a prevenir doenças, a viver com qualidade, manter o organismo saudável e mais jovem do que aponta a idade cronológica, mesmo com a existência de algum problema de saúde.

Descritores: Terceira Idade; Promoção da Saúde; Academia ao ar Livre; Exercícios Físicos.

Referências

-Almeida VLS. A Relevância das Academias Populares Como Possibilidade de Promoção da Saúde para os Usuários. Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Departamento de Educação Física e Desportos. Goiânia – GO. 2014.

- Jornal Brasil Central. 58% dos brasileiros nunca praticaram exercícios, aponta pesquisa. 2013. Disponível em: <http://jornalcentralbrasil.blogspot.com.br/search?updated-max=2013-11-12T16:43:00-02:00&max-results=20&reverse-paginate=true> . Acesso em: 20 ago 2016.

- Oliveira DM. Academia ao Ar Livre como política pública de esporte: um estudo sobre participantes desse formato específico de academia na cidade de Santa Maria-RS. Brasil. 2015. Disponível em: <http://eventos.livera.com.br/trabalho/98-1021171_19_06_2015_07-20-28_6723.PDF> . Acesso em: 07 set 2016.

- Brasil, Ministério da Saúde – MS. Portaria nº 399/GM de 22 de fevereiro de 2006. Pacto pela Saúde. Disponível em: <http://www.mp.ce.gov.br/orgaos/PROSAUDE/pdf/portaria%20399.pdf > . Acesso em: 20 set 2016.

- BrasilL, Ministério da Saúde. Portaria nº 719, de 07 de abril de 2011. Disponível: <http://atencaobasica.saude.rs.gov.br/upload/arquivos/201510/01114724-20141103165640br-portaria-719-2011-academia-de-saude-1.pdf >. Acesso em: 03 out 2016.

- Brasil, Ministério da Saúde. Grupo Hospitalar Conceição Promoção do envelhecimento saudável: vivendo bem até mais que 100!: cartilha do usuário / Cristina PL, Sandra RSF; ilustrações de Maria LL. - Porto Alegre: Hospital Nossa Senhora da Conceição, 200; p.42.

- Araújo VS. “Benefícios do Exercício Físico na Terceira Idade”. Universidade de Brasília Faculdade de Educação Física. Curso de Licenciatura em Educação Física. Universidade Aberta do Brasil. Barra do Bugres-MT. 2014. http://bdm.unb.br/bitstream/10483/9581/1/2014_Vanessa

SuligoAraujo.pdf >.

- Togatlian MA. Tipos de pesquisa. 2012. Disponível em: <http://www.togatlian.pro.br/docs/pos/unesa/tipos.pdf >. Acesso em: 20 out 2016.

-Ascencio TS, Pujals C. A Influência do Exercício Físico Sobre o Nível de Autoestima dos Idosos.V.24, n.1, pp.98-103 (Out - Dez 2015). Revista UNINGÁ Review.

- Tassa KOM, Stefanello JMF. Efeitos de um programa de imaginação sobre o equilíbrio em idosos: uma revisão de literatura. São Paulo: A Terceira Idade;2012 p. 18-29 .

- IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Perfil dos Idosos Responsáveis pelos Domicílios no Brasil; 2013. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/perfilidoso/ >. Acesso: 10 out 2016

- Nogueira RS, Fernandes VLC. O ESPAÇO SAÚDE E LAZER: a academia ao ar livre em questão; 2013. Disponível em: <http://paginas.uepa.br/ccbs/edfisica/files/2013.1/RENATO_NOGUEIRA.pdf>. Acesso em: 07 set 2016.

- Soares RC. Os efeitos da atividade física na saúde do idoso. Universidade Veiga de Almeida – UVA. Curso de Fisioterapia. Rio de Janeiro – RJ; 2007.

- Carvalho RBC. Relações entre aptidão física, sexo, idade, nível de atividade física e supervisão dos exercícios em indivíduos fisicamente ativos de 50 a 79 anos de idade. Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas; 2008.

- Roza RH. As Atividades Físicas Oferecidas aos Idosos no SESC – Campinas São Compatíveis com os Anseios Dessa População? Universidade Estadual de Campinas. Campinas – SP. 2009. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?down=000648008> . Acesso: 20 out 2016.

- ZIOBER BRASIL. Saúde, Bem-estar e qualidade de vida na melhor idade. Disponível em: <http://www.zioberbrasil.com.br/academia-da-terceira-idade> . Acesso: 15 set 2016.

Publicado
2018-07-20
Como Citar
1.
Ramalho RC, Santos OP dos, Paraízo GBA de, Nunes CA, Moraes Filho IM de. Academia ao ar livre como estratégia para a promoção de saúde da população da terceira idade. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 20º de julho de 2018 [citado 10º de dezembro de 2019];1(Esp):183-92. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/73

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>