Contribuições do enfermeiro para a saúde do homem na atenção básica

Resumo

O baixo quantitativo de homens aos serviços de saúde é realidade existente a um dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS): a integralidade. O artigo objetiva descrever o perfil das publicações científicas sobre a atuação do enfermeiro na assistência à saúde do homem na atenção básica. Trata-se de um estudo de revisão integrativa com abordagem qualitativa nas bases de dados LILACS, SCIELO e BDENF, no período de 2010 a 2018, no idioma português (Brasil). Evidenciou deficiência do autocuidado e informação em 50% dos artigos selecionados, apresentando déficits na prevenção de infecções sexualmente transmissíveis (IST) e câncer de próstata resultando em um declínio na capacidade de autopromoção. É necessário planejamentos e intervenções de estratégias na atenção básica que objetiva divulgar, transformar o conhecimento populacional sobre a Política Nacional de Atenção Integral a Saúde do Homem (PNAISH) para realizar medidas de prevenção e promoção da saúde reduzindo os níveis de morbimortalidade.

Descritores: Saúde do Homem; Enfermagem; Assistência.

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: anexo I. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Brasil. Ministério da Saúde. As cartas de promoção à saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2002. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cartas_promocao.pdf > . Acesso em: 02 dez 2015.

Trilico M, et al . Discursos masculinos sobre prevenção e promoção da saúde do homem. Trab. educ. saúde. Rio de Janeiro; 2015. p. 381-95.

Basílio MC, Albano BR, Neves JB. Desafios para a inclusão dos homens nos serviços de atenção primaria à saúde. Rev. Enferm. Integ – Ipatinga, MG; 2012.

Siqueira BPJ, Texeira JRB, Valença Neto PF, Boery EM, Boery RNS, Vilela ABA. Homens e cuidado à saúde nas representações sociais de profissionais de saúde. Escola. Anna Nery. Rio de Janeiro; 2014.v. 18, n. 4. p. 690-96.

Silva P, et al . A saúde do homem na visão dos enfermeiros de uma unidade básica de saúde. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro; 2012. v.16, n.3. p. 561-68.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Integral a Saúde do Homem (princípios e diretrizes). Brasília, Novembro de 2008. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_atencao_homem.pdf >.

Acesso em: 10 abr 2015.

Resolução Cofen - Nº 311/2007. Revoga a Resolução COFEN nº 240/2000. Rio de Janeiro, 08 de fevereiro 2007. Disponível em: < http://www.huwc.ufc.br/arquivos/biblioteca_cientifica/1188236444_91_0.pdf >. Acesso em: 06 dez 2007.

Moraes Filho IM, Almeida RJ. Estresse ocupacional no trabalho em enfermagem no Brasil: uma revisão integrativa. Rev. Bras. Promoção da Saúde.2016;29(3):447-54. <http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=40849134018>.

Gil AC. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4. edição. São Paulo – SP: Atlas, 2008.

Orem DE, Nursing: concepts of practice. 2. ed. New York: McGrau-Hill, 1980. Ch.3, p. 35-54: Nursing and self-care.

Fontes W, et al . Atenção à saúde do homem: interlocução entre ensino e serviço. Acta paulista de enfermagem. São Paulo; 2011. v. 24, n. 3. p. 430-33.

Ribeiro D, et al. Saúde dos homens: abordagem na formação de enfermeiros. Rev. Enferm. UERJ- Rio de Janeiro; 2014.

Santana EM, Lima EMM, Bulhões JLF, Monteiro EML, Aquino JM. A atenção à saúde do homem: ações e perspectivas dos enfermeiros. Rev. Min. Enferm- Recife; 2011.

Andrade RF, Monteiro AB. Fatores determinantes para criação da Política Nacional de Saúde do Homem. Rev. Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP. Macapá; 2012. n.5, p.71-86.

BRASIL. Ministério da Saúde.: Uma análise da situação de saúde e de evidências selecionadas de impacto de ações de vigilância em saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Brasília; 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. As cartas de promoção à saúde. Brasília: Ministério da Saúde. 2010.

Gomes R, Nascimento E, Araujo F. Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro;2007. v. 23, n. 3, p. 565-74.

Publicado
2018-06-26
Como Citar
1.
Vaz CAM, Souza GB de, Moraes Filho IM de, Santos OP dos, Cavalcante MMFP. Contribuições do enfermeiro para a saúde do homem na atenção básica. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 26º de junho de 2018 [citado 10º de dezembro de 2019];1(2):122-6. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/60

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>