HARMONIZAÇÃO ÍNTIMA DA MULHER E OS VALORES ESTÉTICOS

Autores

  • Bruna Aparecida Amorim da Silva
  • Walquíria Lene dos Santos

Resumo

Introdução: A harmonização íntima caracteriza-se como algo que muitas mulheres tem procurado como algo associado a qualidade de vida e melhorias na autoestima. Objetivo analisar a importância da escolha da harmonização íntima por parte das mulheres Métodos: Trata-se de revisão integrativa com abordagem qualitativa. A busca foi realizada, segundo os descritores em ciência da saúde, utilizados no levantamento dos dados, sendo estes: ‘’cirurgia estética’’, ‘’feminilidade’’ e ‘’genitália’’. Os critérios de inclusão foram: Artigos publicados nos últimos 10 anos, descritos em língua portuguesa, publicados de forma completa em bases de dados cientificas. Foram encontrados um total de 13 artigos completos e em língua portuguesa, além de informações de dissertações de mestrado Resultados: A cirurgia plástica genital tem sido uma das operações de cirurgia plástica mais procuradas nos últimos cinco anos por mulheres insatisfeitas com a estética e que desejam uma vida sexual mais saudável. Após a leitura dos artigos foram elencadas categorias de sínteses dos dados coletados: Estética e Feminilidade no Contexto da Harmonização íntima; A região Íntima Feminina e a Estética e Psicologia no Universo Feminino; Corpo Feminino: Beleza e Desafios nos Tratamentos Estéticos da Vagina. Conclusão: Os profissionais de saúde devem possuir uma visão holística do humanizado nas orientações de procedimentos estéticos que possam proporcionar satisfação às mulheres que passam por procedimentos diversos. A pesquisa destaca que a procura por cirurgias plásticas vaginais pode proporcionar uma melhor autoestima da mulher e qualidade de vida, auxiliando o seu bem-estar no cotidiano.

Downloads

Publicado

2022-03-14

Como Citar

1.
Aparecida Amorim da Silva B, Lene dos Santos W. HARMONIZAÇÃO ÍNTIMA DA MULHER E OS VALORES ESTÉTICOS. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 14º de março de 2022 [citado 23º de maio de 2022];5(1):828-45. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/348