IMPORTÂNCIA DA CAPACITAÇÃO DE ENFERMEIROS VISANDO À MELHORIA DA ASSISTÊNCIA A MULHERES PORTADORAS DE HIV QUE NECESSITAM DO PARTO EMPELICADO

Autores

  • Dawany Kennarik Farias Siva Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires
  • Renata Bubadué

Palavras-chave:

Capacitação, Enfermeiros, Assistência Efetiva, Parturientes Portadoras de HIV, Parto Empelicado

Resumo

Objetivo: Diante desse cenário, este trabalho teve como objetivo geral o estudo da importância da capacitação, conscientização e sensibilização de enfermeiros visando à melhoria da assistência a mulheres portadoras de HIV que necessitam do parto empelicado. Método: escolheu-se a abordagem qualitativa e os métodos hipotético e dedutivo, buscando-se dados e informações por meio de uma revisão bibliográfica em consultas a sítios eletrônicos governamentais, das bases de dados PubMed, Google Acadêmico e Scielo, além de livros e revistas especializadas. Foi realizada uma discussão dos resultados obtidos na revisão bibliográfica. Utilizaram-se descritores previamente selecionados, obedecendo, de forma estrita, aos critérios de inclusão e exclusão definidos no protocolo do estudo. Foram encontrados 65 (sessenta e cinco) artigos sobre o tema e devido aos critérios de exclusão e inclusão, foram selecionados e anexados 10 (dez) artigos na tabela 01, que considerou os seguintes aspectos científicos: títulos das pesquisas, autor(es)/anos, locais de realização das pesquisas, procedimentos metodológicos e principais resultados alcançados. Resultados: Em relação à revisão bibliográfica e no tocante aos 10 (dez) artigos selecionados, percebeu-se a necessidade de capacitação dos enfermeiros. Conclusão: existe a real necessidade de capacitação, conscientização e sensibilização dos enfermeiros visando aumentar a qualificação desses profissionais, tornando a assistência mais humanizada e efetiva às mães portadoras de HIV que necessitam do parto empelicado.

Referências

Iftikhar N. O que é um nascimento de En Caul? 20.12. 2019. [acesso em 20 out 2020]. Disponível em:

https://www.translatetheweb.com/?from=en&to=pt&ref=SERP&dl=en&rr=UC&a=https%3

a%2f%2fwww.healthline.com%2fhealth%2fpregnancy%2fen-caul-birth.

Weiss M. En Caul. 19.03.2020. [acesso em 10 out 2020]. Disponível em:

https://www.translatetheweb.com/?from=en&to=pt&ref=SERP&dl=en&rr=UC&a=https%3

a%2f%2fblogs.timesofisrael.com%2fen-caul%2f.

Moreira LAB, et al. A utilização da teoria do autocuidado na assistência a gestante

portadora de HIV. [acesso em 21 out 2020]. Disponível em: https://doity.com.br/media/doity/submissoes/artigo-eac30280b3f07cca66521901cf0be260 e77f3961-arquivo.pdf.

Ruocco RMAS. Protocolo assistencial para o parto de gestantes portadoras do HIV. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo, v. 47, n. 3, p. 186-188, set. 2001. [acesso em 20 out 2020]. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000300023&lng=

pt&nrm=iso. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302001000300023.

Brasil. Ministério da Saúde. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para prevenção da

transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatites virais. Brasília: Ministério da Saúde,

Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais; 2018.

BBC. O surpreendente caso do bebê que nasceu em bolsa amniótica intacta.

02.2015. [acesso em 20 out 2020]. Disponível em:

https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/02/150225_bebe_bolsa_amniotica_pai.

Brasil. Ministério da Saúde. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para prevenção da

transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatites virais. 2019. [acesso em 20 out 2020].

Disponível em: file:///C:/Users/vconcursos/Downloads/miolo_pcdt_tv_08_2019.pdf.

Bellotto PCB, et al. Entre a mulher e a salvação do bebê: experiências de parto de

mulheres com HIV. Interface (Botucatu), Botucatu , v. 23, e180556, 2019. [acesso em 20 set 2020]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832019000100275&lng= en&nrm=iso. http://dx.doi.org/10.1590/interface.180556.

Giovelli GRM, Carvetti PU; et al. Manual de cuidados HIV/AIDS; atenção, avaliação e intervenção psicoeducativa para pessoas que vivem e convivem com HIV/AIDS. São Paulo: Eureka, 2015. [acesso em 23 set 2020]. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/controlecancer/resource/pt/biblio-971707.

Brasil, Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico DST/ AIDS. Brasília: Ministério da Saúde, 2018, Ano VI, n 01. ISSN 1517-1159. [acesso em 20 set 2020]. Disponível http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2018/boletim-epidemiologico-hivaids-2018.

Rohim SH. et al. Gestantes e puérperas soropositivas para HIV e suas interfaces de cuidados. Revista de Enfermagem UFPE. v. 2, n. 4, 2018. [acesso em 10 set 2020]. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/.../25127.

Caldas MAG. et al. Percepção da equipe de Enfermagem sobre a gravidez no contexto da infecção pelo HIV. Rev Rene, v. 16, n. 1, p. 29-37, jan/fev. 2015. DOI: 10.15253/2175-6783.2015000100005. [acesso em 9 set 2020]. Disponível em: www.revistarene.ufc.br.

Camillo SO. et al. O Desejo de ser Mãe com a Infecção pelo HIV/AIDS. Revista de Enfermagem do Centro Mineiro, v. 5 n.1 abr.2015 DOI:10.19175. [acesso em 20 ago 2020]. Disponível em: http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/552.

Jordão BA. et al. Conhecimento da Gestante sobre o HIV e a Transmissão Vertical em São José do Rio Preto, São Paulo, Brasil. Rev. Bras. Pesq. Saúde, Vitoria, 18(2); 26-34, abr-jun, 2016. [acesso em 8 jul 2020]. Disponível em http://periodicos.ufes.br/RBPS/article/view/15081.

Gonçalves TR. et al. Contribuição de uma Intervenção Psicoeducativa para Enfrentamento do HIV durante a gestação. Psicologia Teoria e Pesquisa. Vol 31 n. 2 pp 193-201, Abr-jun 2015. [acesso em 14 jul 2020]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ptp/v31n2/0102-3772-ptp-31-02-0193.pdf.

SOUSA, P. K. R.; et al. Impacto da descoberta da soropositividade para o HIV em mulheres durante o acompanhamento pré-natal. Rev enferm UFPE on line, Recife, v. 9, n. 12, p. 1284-9, dez. 2015. [acesso em 14 jul 2020]. Disponível em: http://www.abeneventos.com.br/anais_senpe/17senpdfe/p/0474co.pdf.

Feitosa JMF, Conceição HN, Câmara JT, Chaves TS, Pereira BM, Moura LRP, Barreto CS, et al. Análise epidemiológica e espacial de HIV/AIDS em crianças e gestantes. Rev enferm UFPE on line. 2020;14: e243437. [acesso em 19 jul 2020]. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/243437/34245. DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963.2020.243437.

Rev Inic Cient e Ext. 2021; 4(1): 548-61

Siva DKF, Bubadué RM.

Rodrigues J. P.; Chaves, L. S, Valois RC, Carvalho DS de, Nascimento MHM, Siqueira LS. et al. Mulheres com HIV: percepção sobre uma futura gestação. Rev enferm UFPE on line. 2020;14:e244053. [acesso em 14 jul 2020]. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/244053/35412 DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963.2020.244053.

Cartaxo CMB. et al . Gestantes portadoras de HIV/AIDS: aspectos psicológicos sobre a prevenção da transmissão vertical. Estud. psicol. (Natal), Natal , v. 18, n. 3, p. 419-427, Sept. 2013. [acesso em 14 jul 2020]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-294X2013000300002&lng= en&nrm=iso. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2013000300002.

De Amorim BL. et al. Soropositividade de HIV em gestantes: adequação das práticas e atividades desenvolvidas pelo serviço de assistência especializada. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT-ALAGOAS, v. 1, n. 1, p. 67-82, 2012.

Moreira LAB. et al. A utilização da teoria do autocuidado na assistência a gestante portadora de HIV. 2018. [acesso em 17 jul 2020]. Disponível em: https://doity.com.br/media/doity/submissoes/artigo-eac30280b3f07cca66521901cf0be260 e77f3961-arquivo.pdf.

Viana RB. et al. Vivências de gestantes soropositivas em relação à assistência de enfermagem: estudo descritivo/The dying and death of elderly hospitalized in perspective of nursing professionals. Ciência, Cuidado e Saúde, v. 12, n. 3, p. 550-557, 2013. [acesso em 14 jul 2020]. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/18903.

Almeida BBLF. et al. O conhecimento dos profissionais de saúde na profilaxia da transmissão vertical do HIV em uma maternidade pública brasileira. Enfermería Global, v. 14, n. 3, p. 1-28, 2015. [acesso em 11 jul 2020]. Disponível em: https://revistas.um.es/eglobal/article/view/202301.

Araújo CCL, Ana CM. et al. Transmissão vertical do HIV: reflexões para a promoção da saúde e cuidado de enfermagem. Avances en Enfermería, v. 35, n. 2, p. 181-189, 2017. [acesso em 14 jul 2020]. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?pid=S0121-45002017000200181&script=sci_abstract &tlng=en.

Downloads

Publicado

2021-06-09

Como Citar

1.
Kennarik Farias Siva D, Bubadué R. IMPORTÂNCIA DA CAPACITAÇÃO DE ENFERMEIROS VISANDO À MELHORIA DA ASSISTÊNCIA A MULHERES PORTADORAS DE HIV QUE NECESSITAM DO PARTO EMPELICADO. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 9º de junho de 2021 [citado 18º de junho de 2021];4(1):548-61. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/315