Terapia de reposição hormonal na menopausa

  • Thallyta Alves Bezerra
  • Elaine Cristina de Souza Lima
  • Amanda Lemos Araújo
  • Kauane Durães do Rosário
Palavras-chave: Menopausa, Terapia de Reposição Hormonal, Terapia de Reposição Hormonal, Saúde da Mulher, Saúde da Mulher

Resumo

A menopausa marca a suspensão da capacidade reprodutiva feminina, que geralmente ocorre entre os 40 e 60 anos de idade. A Terapia Hormonal na Menopausa (THM) ainda causa dúvidas entre as mulheres quanto aos riscos e benefícios de sua utilização, pois atua no controle dos sintomas menopausais, que é a principal recomendação da estrogenoterapia. Porém, o aumento do risco de câncer de mama e doença tromboembólica, que podem ser efeitos adversos da THM, é baixo no primeiro ano de tratamento. Os riscos podem se agravar com o tempo de uso, porém o tratamento deve ser visto de forma individual. Esta revisão bibliográfica sistemática, de natureza explicativa, utilizou artigos científicos condizentes ao tema. Conclui-se que a TRH é indicada para tratar e amenizar os sintomas decorrentes da menopausa, visando beneficiar a qualidade de vida das pacientes que fazem o uso do tratamento.

Referências

Souza NLSA, Araújo CLO. Marco do envelhecimento feminino, a menopausa: sua vivência, em uma revisão de literatura. Revista Kairós Gerontologia. 2015;18(2): 149-65.

Pardini D. Terapia de reposição hormonal na menopausa.Arq Bras Endocrinol Metab. 2014; 58(2): 172-81.

Vigeta SMG. A experiencia da perimenopausa e pós-menopausa com mulheres que fazem uso ou não da terapia de reposição hormonal.Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro. 2004; 20(6):1682-9.

Wannmacher L Lubianca J N -Terapia de reposição hormonal na menopausa: evidências atuais. Vol. 1, No 6.Brasília, Maio de 2004.

Silva VH, Rocha JSB, Caldeira AP. Fatores associados à autopercepção negativa de saúde em mulheres climatéricas. Ciênc. saúde colet. 2018; 23(5): 1611-20

Valença CN. Mulher no climatério: reflexões sobre desejo sexual, beleza e feminilidade.Saude soc. 2010; 19(2): 273-85 .

Sílvia EV. Qualidade de vida em usuárias usuárias e não usuárias usuárias de terapia terapia de reposição reposição hormonal.Rev Assoc Med Bras 2005; 51(3): 133-8

Camargos AL. terapia de reposiçao hormonal e desempenho cognitivo na terceira idade. Estudos de psicologia. 2009; 26(4): 437-43.

Antunes S. Fisiopatologia da menopausa.Rev Port Clin Geral 2003;19:353-7.

Vieira1 L H L.Efeitos da isoflavona e dos estrogênios conjugados eqüinos sobre a qualidade de vida na pós-menopausa.Rev Bras Ginecol Obstet. 2007; 29(5):248-52 .

Spritzer PM. Terapia hormonal na menopausa: quando não usar. Arq Bras Endocrinol Metab.Hospital das Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2007.

Szejnfeld VL. Os estrogênios melhoram a massa óssea em mulheres osteoporóticas com mais de dez anos de menopausa, Estudos realizados na Escola Paulista de Medicina e Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil. São Paulo Med. J. Vol.112 no. 1 São Paulo Jan. Mar. 1994.

Polonini HC. A terapia de reposição hormonal e a saúde da mulher no climatério: riscos e benefícios.Rev APS. 2011; 14(3): 354-61.

Diretriz Brasileira sobre Prevenção de Doenças Cardiovasculares em Mulheres Climatéricas e a Influência da Terapia de Reposição Hormonal (TRH) da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e da Associação Brasileira do Climatério (SOBRAC). Arq Bras Cardiol. 2008; 91.

Miranda J S. Qualidade de vida em mulheres no climatério atendidas na Atenção Primária. Rev. Bras. enferm. vol.67 no.5 Brasília Sept. /Oct. 2014

Publicado
2019-08-19
Como Citar
1.
Bezerra TA, Lima EC de S, Araújo AL, Rosário KD do. Terapia de reposição hormonal na menopausa. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 19º de agosto de 2019 [citado 19º de novembro de 2019];2(4):247-9. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/265

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##