Contaminação, meios de desinfecção e armazenamento da escova dental: revisão de literatura

  • Giorgio Henrique Gonçalves
  • José Diego dos Santos Silva
  • Lara Tavares Lopes
  • Iel Marciano de Moraes Filho
  • Débora Dadiani Dantas Cangussu
  • Jaqueline Ataíde Silva Lima

Resumo

O objetivo desta revisão de literatura é evidenciar a importância de minimizar os micro-organismos encontrados nas escovas dentais após seu uso e mostrar estratégias de profilaxia de fácil acesso a população. Para isso, foram utilizados artigos científicos referentes ao tema, de forma a introduzir e discutir sobre o assunto pertinente. Sendo assim, foi possível identificar que, depois de utilizada, a escova é contaminada pela própria flora de micro-organismos presentes na cavidade bucal e, com isso, gera a necessidade de sua desinfecção e por conseguinte armazenamento adequado, que feito de forma inadequada pode também gerar contaminação das cerdas das escovas dentais. Dentro da saúde pública, essas informações afetam diretamente a população de maneira positiva, afinal com agentes químicos de fácil acesso é possível fazer uma desinfecção eficiente, e a maneira de armazenar também colaborará nessa redução de contaminação, concluindo que as famílias que receberem essas informações poderão evitar doenças por contaminações cruzadas.

Referências

Ferreira GTS, Freixinho ABS, Machado SJ, Miasato JM. Verificação da contaminação e forma de armazenamento de escovas dentais em um grupo de adolescentes de uma escola da rede privada de ensino. Rev. Odontol. Univ. Cid. São Paulo. 2013; 25(1):6-10

Mialhe FL, Silva DD, Possobon RF. Avaliação dos cuidados relativos ao armazenamento e desinfecção das escovas dentais por acadêmicos de Odontologia. Rev Odontol UNESP 2007; 36:231-35.

Queiroz FS, Nóbrega CBC, Costa LED, Reul MA, Abreu RSA, Leite MS. Avaliação do perfil de armazenamento e descontaminação das escovas dentais. Rev Odontol UNESP. 2013 Mar-Abr;42(2):89-93. http://dx.doi.org/10.1590/S1807-25772013000200004.

Ferreira B. Fitoterapia: plante essa idéia. Rev ABO Nac 1996;4(2):87-90

Dias Jordana Aparecida, Costa Ana Maria Duarte Dias, Terra Fábio de Souza, Costa Rosane Dias, Costa Marina Dias, Zanetti Heloísa Helena Vieira. Avaliação do índice de placa bacteriana e sua relação com a condição física e o acondicionamento das escovas dentais. Odontol. Clín.-Cient. (Online) [periódico na Internet]. 2010 Set [citado 2019 Maio 03] ; 9( 3 ): 253-255. Disponível em: http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-38882010000300014&lng=pt.

Chibebe Jr J, Pallos D. Avaliação da esterilização de escovas dentais em forno de microondas (estudo in vitro). Rev Biociênc 2001; 7:39-42.

Cobb CM. Toothbrushes as a cause of repeated infections of the mouth. Boston Med Surg J 1920; 183:263-4.

Glass RT. The infected toothbrush, the infected denture, and transmission of disease: a review. Compendium. 1992 Jul;13(7):592-8.

Wetzel WE, Schaumburg C, Ansari F, Kroeger T, Sziegoleit A. Microbial contamination of toothbrushes with different principles of filament anchoring. J Am Dent Assoc 2005; 136:758-65.

Nascimento AP, Watanabe E, Ito IY. Toothbrush contamination by Candida spp. and efficacy of mouthrinse spray for their disinfection. Mycopathologia. 2010;169(2):133-8. doi:10.1007/s11046-009-9239-z

LOESCHE, W. J. Cárie dental: uma infecção tratável. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 1993. 349 p.

Sato Sandra, Ito Izabel Yoko, Lara Elza Helena Guimarães, Panzeri Heitor, Albuquerque Junior Rubens Ferreira de Pedrazzi, Vinícius. Bacterial survival rate on toothbrushes and their decontamination with antimicrobial solutions. J. Appl. Oral Sci. [Internet]. 2004 June [cited 2019 May 03] ; 12( 2 ): 99-103. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-77572004000200003&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1678-77572004000200003.

Kozai K, Iwai T, Miura K. Residual contamination of toothbrusher by microorganisms. ASDC J Dent Child. 1989 May-Jun;56(3):201-4.

Spolidorio DM, Goto E, Negrini TC, Spolidorio LC. Viability of Streptococcus mutans on transparent and opaque toothbrushes. J Dent Hyg. 2003 Spring;77(2):114-7. [

Warren DP, Goldschmidt MC, Thompson MB, Adler-Storthz K, Keene HJ. The effects of toothpastes on the residual microbial contamination of toothbrushes. J Am Dent Assoc. 2001; 132:1241-5.

Milanezi LA, Nagata MJH, Mendes VS, Pescinini L. Avaliações clínicas para ajuizar o descarte das escovas. RGO. 1995;43(5):257-62.

Nelson Filho P, Faria G, da Silva RAB, Rossi MA, Ito IY. Evaluation of the contamination and disinfection methods of toothbrushes used by 24 to 48-month-old children. J Dent Child 2006; 73:152-8.

Nelson Filho P, Macari S, Faria G, Assed S, Yoko I. Microbial Contamination of toothbrushes and their descontamination. Pediatr Dent 2000; 22(5):381-4.

Komiyama Edson Yukio, Back-Brito Graziella Nuernberg, Balducci Ivan, Koga-Ito Cristiane Yumi. Evaluation of alternative methods for the disinfection of toothbrushes. Braz. oral res. [Internet]. 2010 Mar [cited 2019 May 03] ; 24( 1 ): 28-33. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-83242010000100005&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1806-83242010000100005.

Lara EHG, Ito IY, Ogasawara MS, Semprini M, Panzeri H. Avaliação da eficiência de algumas soluções anti-sépticas para sanitização de escovas dentais. Rev ABO Nac 2001; 9:18-23

Sanches MH, Peres SHCS, Peres AS, Bastos JRM.Descontaminação das escovas dentárias por imersão em soluções anti-sépticas. RGO 2001; 49:167-71.

Oliveira CB, Soares DGS, Bomfim IPR, Drumond MRS, Paulo MQ, Padilha WWN. Avaliação da eficácia da descontaminação de escovas dentárias pelo uso do spray de óleo essencial da eugenia uniflora l. (Pitanga). Cienc Odontol Bras. 2009; 12 (2): 29-34.

Pinto EDR, Paiva EMM, Pimenta FC. Viabilidade de microorganismos anaeróbios da cavidade bucal em escovas dentárias. Periodontia 1997 jan.-jun.;6(1):8-12.

Meier S, Collier C, Scaletta MG, Stephens J, Kimbrough R, Kettering JD. An in vitro investigation of the efficacy of CPC for use in toothbrush decontamination. J Dent Hyg 1996; 70:161-5.

Borso, H, Crump, R, Schelling, M. The effect of toothbrush covers on bacterial retention. J Dent Hyg 2004; 78: 4.

AMERICAN DENTAL ASSOCIATION et al. Statement on Toothbrush Care: Cleaning, Storage and Replacement. 2011.

Garcia PPNS, Rodrigues JA, Santos PA, Dinelli W. Avaliação clínica do comportamento de higiene bucal em adultos. Rev Odontol UNESP. 2001;30:161-71.

Coutinho PG, Bittar P, Ditterich RG, Rastelli MC, Romanelli MCMV, Wambier DS. Análise do acondicionamento e condições de escovas dentais utilizadas por pré-escolares. Rev Odonto Ciência. 2007;22(58):335-9.

Luciano HX, SPECHT AC, DITTERICH RG. Avaliação do acondicionamento de escovas dentais de pré-escolares nos centros municipais de educação infantil e escolas municipais de Colombo-PR. Revista Odontológica do Brasil Central.2017;26(77):47-52.

Brandão IMG et al. Práticas relacionadas à saúde bucal em escolas municipais de educação infantil de Araçatuba, SP. Revista Paulista de Odontologia.2004; 26(3): 23-26.

Long SR, Santos AS, Nascimento CMO. Avaliação da contaminação de escovas dentais por enterobactérias. Rev Odontol Univ Santo Amaro 2000; 5:21-5

Rodrigues Lais Kuhn, Motter Cintia Werner, Pegoraro Daniele Aiache, Menoli Ana Paula Vicente, Menolli Rafael Andrade. Microbiological contamination of toothbrushes and identification of a decontamination protocol using chlorhexidine spray. Rev. odonto ciênc. [Internet]. 2012 [cited 2019 May 03] ; 27( 3 ): 213-217. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-65232012000300007&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1980-65232012000300007.

Kozai K, Iwai T, Miura K. Residual contamination of toothbrusher by microorganisms. ASDC J Dent Child. 1989 May-Jun;56(3):201-4.

Publicado
2019-08-19
Como Citar
1.
Gonçalves GH, Silva JD dos S, Lopes LT, Moraes Filho IM de, Cangussu DDD, Lima JAS. Contaminação, meios de desinfecção e armazenamento da escova dental: revisão de literatura. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 19º de agosto de 2019 [citado 15º de dezembro de 2019];2(4):219-27. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/261

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

<< < 1 2