Teste in vitro de Ação Anti-helmíntica com Extrato Aquoso de Psidium guajava (Goiabeira) no controle de Strongyloides venezuelensis

  • Alexandra Babosa da Silva
  • Gustavo Rodrigues de Souza
  • Lana Cristina Evangelista Ferreira Sá
  • Petrya Carolina Feliciano Vieira
  • Iriani Rodrigues Moldenade
  • Eleuza Rodrigues Machado
Palavras-chave: Psidium guajava, Strongyloides venezuelensis, Ivermectina, Plantas medicinais, Vermífugo

Resumo

Psidium guajava L (Goiabeira) é uma árvore frutífera tropical, nativa de toda a América, excetoMéxico e Canadá. Chás de folhas dessa planta é usada no controle de reumatismo, diabetes,diarreia, úlceras, antibactericida, antihelminticos trematoda e nematoda de animais. Apresar dafruta goiaba ser amplamente consumida pelos brasileiros, e as folhas e casca serem muitousadas para desarranjos gastrointestinais no Brasil, até o momento não existem estudoscientíficos que mostrem que essa planta atua como anti-helmintíco para helmintos patogênicosdo homem. Objetivo: Verificar in vitro se o extrato aquoso de Psidium guajava L (Goiabeira)apresenta ação vermicida para o nematoda Strongyloides venezuelensis. Material e Métodos: S.venezuelensis é mantido Laboratório de Parasitologia e Biologia de Vetores, FM-UnB em Rattusnovergicus. Fezes de ratos infectados com 1.500 larvas infectivas (L3) foram cultivadas emcarvão mineral, mantidas a 26ºC/3 dias. As L3 foram recuperadas pelo método de Rugai, elavadas 3x em água destilada. Em seguidas contadas e cerca de 1.100 L3 diluídas em 100 µLde água e usadas nos testes. Psidium guajava L foi coletada de lavoura de goiabeiras domunicípio da cidade Regional Brazlândia-DF. As cascas foram lavadas com água, secas a 60ºCe trituradas. 35 g do pó foram diluídos em 300 mL de água e deixado em repouso a 4oC/24 h.Esse extrato foi coado, dividido em alíquotas, congelados a -20º C e liofilizados. 0,5 g desse pófoi diluído em 5 mL de água (Solução inicial) e dessa solução realizaram 10 diluições seriadas(v/v = ½ extrato + ½ de água destiladas) e usaram 600 µL em cada teste + 100 µL de água comas L3, sendo o volume final de 700 µL/poço. Como controle positivo usaram água + L3, econtrole negativo usaram o vermífugo ivermectina na concentração de 0,06 mg/mL. Nos demaispoços adicionaram 600 µL do extrato nas diversas diluições + 100 µL água com L3. As analisesforam feitas em 12, 24, 36 e 48 h, com leitura de todo o líquido. Os resultados foram dados emporcentagem de larvas mortas ou vivas observados usando M.O (Objetiva de 10x). Resultados:98% das larvas L3 do controle positivo estavam vivas até 48 h após o início do experimento. L3tratadas com ivermectina morreram 100% após 24 h do tratamento. O extrato da casca dePsidium guajava na concentração de 0,5 g matou 90% das L3 no tempo 12 h após o tratamento.A partir de 0,25 g a morte das L3 foram tempo dependente, onde na concentração de 0,03 g notempo de 48 h 100% das L3 estavam mortas. Conclusões: Extrato aquoso de casca de Psidiumguajava L apresenta efeito anti-helmintíco sobre S. venezuelensis. Esse extrato poderá serutilizado em futuras pesquisas para isolamento do princípio ativo e produção de anti-helmintícopara Strongyloides sp. e outros nematoda.

Publicado
2019-06-10
Como Citar
1.
da Silva AB, de Souza GR, Ferreira Sá LCE, Vieira PCF, Moldenade IR, Machado ER. Teste in vitro de Ação Anti-helmíntica com Extrato Aquoso de Psidium guajava (Goiabeira) no controle de Strongyloides venezuelensis. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 10º de junho de 2019 [citado 16º de dezembro de 2019];2(Esp.1):36. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/210

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##