O trabalho dos profissionais de saúde na assistência farmacêutica em emergência hospitalar

  • Rayane Maria Campos Lacourt
  • Magda Duarte dos Anjos Scherer
Palavras-chave: Assistência Farmacêutica, Serviço Hospitalar de Emergência, Trabalho

Resumo

Os medicamentos são meios de trabalho essenciais para o cuidado efetivo em contexto de emergência. Com a necessidade de promover acessibilidade e uso racional, a Política Nacional de Medicamentos (PNM) e a Política Nacional de Assistência Farmacêutica (PNAF) visam nortear ações com medicamentos. Essas políticas compreendem assistência farmacêutica como o conjunto das ações de saúde que detém o medicamento como insumo essencial ao cuidado, o que exige esforços de diferentes categorias profissionais e a atuação do farmacêutico como gestor (BRASIL, 2001; BRASIL, 2004).Um estudo sobre processos de trabalho em emergência feito em um hospital universitário brasileiro evidenciou que a integração do serviço de emergência com a farmácia constitui um desafio para a construção do cuidado (RELATÓRIO DE PESQUSIA, 2015).Evidenciar a organização, dificuldades, facilidades e estratégias no processo de trabalho em assistência farmacêutica em serviço de emergência hospitalar.Esse estudo qualitativo foi realizado com profissionais das unidades de emergência e farmácia de um hospital universitário. A coleta de dados ocorreu entre outubro de 2018 e fevereiro de 2019. Foram feitas 19 horas de observação e entrevistas com 3 médicos, 3 farmacêuticos, 4 enfermeiros, 5 técnicos de enfermagem, 3 técnicos em farmácia, 2 auxiliares de enfermagem e 2 terceirizados. Entrevistas e observações foram transcritas e analisadas com auxílio do software Atlas.ti. trabalhadores se organizam de formas diferentes nos turnos e nas unidades de acordo com a norma e com as adversidades do meio. Na emergência, os técnicos do dia se dividem por leitos, realizando preparo e administração aos pacientes pelos quais ficam responsáveis. Á noite, a equipe separa os medicamentos conforme o horário de administração em uma bancada para facilitar o estabelecimento dos horários de repouso. Orientações e farmacoterapia são realizadas pelos médicos staffs e residentes com suporte dos trabalhadores da farmácia quando necessário. Na farmácia, o telefone e o balcão constituem espaços de tensão dos trbalhadores devido à demanda. Técnicos, auxiliares e farmacêuticos se revezam nesse atendimento para evitar a sobrecarga. Os farmacêuticos são muito atuantes em atividades de logística. Mas têm se empenhado para realizar atividades clínicas no hospital.Dentro dos serviços, a carga de trabalho é compartilhada e as tarefas são realizadas em equipe. Mas entre as unidades existem lacunas comunicacionais e relacionais que parecem relacionadas com distância física e diferença da vivencia nos processos. É preciso fomentar espaços de diálogo para promover empatia e a construção do cuidado.

Publicado
2019-06-10
Como Citar
1.
Lacourt RMC, Scherer MD dos A. O trabalho dos profissionais de saúde na assistência farmacêutica em emergência hospitalar. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 10º de junho de 2019 [citado 20º de setembro de 2019];2(Esp.1):33. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/207