Relações dos polimorfismo da eca é nos3 com o percentual de massa magra e massa gorda em quilombolas de meia idade

  • Daniele Meireles da Silva
  • Leonardo Costa Pereira
  • Mauro Karnikowski
  • Izabel Cristina Costa Rodrigues
  • Margô Gomes Oliveira Karnikowiski
Palavras-chave: Etnia, Genética, Composição Corporal

Resumo

Os Quilombos Remanescentes são comunidades de descendentes de ex-escravos, constituído por uma população negra que vivem em terras rurais. Aproximadamente 2.400 comunidades remanescentes ainda existem por vários estados do Brasil. Nestas comunidades, boa parte não tem saneamento básico e vivem em extrema pobreza ou dependem do trabalho rural. Verificar a relação entre os polimorfismos da ECA e NOS3 com o percentual de MM e MG em quilombolas de meia idade. A amostra foi constituída por indivíduos da comunidade quilombola de Malhadinha e Córrego Fundo, de ambos os sexos, com idade maior ou igual a 52 anos. A composição corporal foi avaliada por meio de Absortometria de Raios-x de Dupla Energia (DXA), equipamento GE Lunar DPX (Lunar Corporation, Madison, WI, USA). A extração de DNA foi realizada conforme as orientações do fabricante do kit de extração “kit invisorb” e sua concentração foram obtidas por meio do espectrofotômetro (NANODROP Technologies Inc., Wilmington, DE, USA). As amplificações dos loci da ECA e NOS3 foram realizadas por meio de PCR, segundo as orientações de Morais, 2018. Para análises estatísticas utilizou-se o software SPSS 22. As comparações entre os grupos genótipos, de diferente sexo e percentual de MM e MG, foram realizadas por meio de Mann Whitney. Considerou-se diferença significativa p≤0,05. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética sob o parecer nº 1.771.159. Das 49 pessoas selecionadas, 61,2% foram de mulheres e 38,8% de homens. Quanto ao estado nutricional, 96,67% das mulheres se encontravam com %G acima do recomendado, e em homens 26,32%. Não houveram diferenças estatísticas quanto aos polimorfismos de NOS3, ECA, e os valores absolutos de MG e MM, no entanto identifica-se uma maior incidência de indivíduos com %G acima do recomendado nas presenças dos alelos “T” para NOS3 e na do alelo “D” para ECA. Na presença do alelos homozigotos T(ECA) e D(NOS3) a incidência em relação aos valores de referência da massa teve um resultado significativo quando comparados aos heterozigotos.

Publicado
2019-06-10
Como Citar
1.
Silva DM da, Pereira LC, Karnikowski M, Rodrigues ICC, Karnikowiski MGO. Relações dos polimorfismo da eca é nos3 com o percentual de massa magra e massa gorda em quilombolas de meia idade. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 10º de junho de 2019 [citado 20º de setembro de 2019];2(Esp.1):29. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/202