Evolução dos biomarcadores da síndrome coronariana aguda

  • Anne Maryelle Florêncio Silva
  • Jorge Luiz Pereira de Oliveira
  • Jocicleide Costa Silva
  • Emerson Herculano de Souza
  • José de Souza Soares
Palavras-chave: Biomarcadores cardíacos, Infarto

Resumo

Taquicardia é uma intensificação da frequência cardíaca, que pode ter início nas câmaras inferiores do coração, os ventrículos. Os ritmos intensos dificulta o bombeamento eficiente do sangue rico em oxigênio para todo o corpo. A taquicardia de QRS largo é indicada com um ritmo cardíaco superior a 100bpm com duração superior a 120ms. Descrever e explorar a interpretação do diagnóstico de um eletrocardiograma, para se obter um melhor resultado e identificação de uma possível cardiopatia. Este trabalho é de natureza qualitativa descritiva, fundamentado em revisão bibliográfica de artigos científicos relacionados a interpretação de eletrocardiogramas que indicam uma taquicardia de QRS alargado. Foram analisados artigos publicados nos últimos 10 anos nas bases PubMed, LILACS e SCiElo. Informações da história clínica do paciente podem auxiliar na diferenciação da origem da arritmia. A Taquicardia Ventricular é a causa mais comum de uma taquicardia de QRS alargado, corresponde a cerca de 80% da maioria dos casos, ocasionada por um histórico de doença cardíaca (enfarte do miocárdio ou insuficiência cardíaca congestiva) indicando um resultado positivo de 95%. Pouco se vê uma TSV mostrar-se como uma taquicardia de QRS largo, pois, tende a se resolver rapidamente após alguns minutos (≅ 35min.). O eletrocardiograma de 12 derivações é um notável instrumento que diferencia a origem da taquicardia. Há anos, tem sido propostos critérios para uma eficiente diferenciação de taquicardia de QRS largo. Maior parte dos critérios baseiamse na presença de dissociação AV, duração, eixo e morfologia dos complexos QRS. O diagnóstico preciso de taquicardia de complexos largos ainda é um desafio apesar de vários critérios serem estipulados para uma diferenciação entre TV e TSV. Novos métodos, visando resultados diretos, custo-benefício, um melhor aperfeiçoamento dos profissionais que são designados a fazer a leitura, são uma grande marco para aprimoramento em suas interpretações.

Publicado
2019-06-10
Como Citar
1.
Silva AMF, Oliveira JLP de, Silva JC, Souza EH de, Soares J de S. Evolução dos biomarcadores da síndrome coronariana aguda. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 10º de junho de 2019 [citado 22º de julho de 2019];2(Esp.1):24. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/191

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##