O uso do canabidiol (CBD) em doenças neurológicas: uma análise da situação no Brasil

  • Aracelly Gomes Pierote Freitas
  • Karla Camilla Lins Lucena
  • Anna Maly de Leão e Neves Eduardo
  • Guizelle Aparecida de Alcâtara
  • Guilherme Junio Pinheiro
Palavras-chave: Cannabis sativa, Canabidiol, Fitocanabinóides, Medicamentos psicoativos

Resumo

Por milênios, a humanidade tem associado o uso de Cannabis Sativa com sua utilidade terapêutica, revelando um amplo espectro de propriedades farmacológicas, como ação analgésica, imunossupressora, efeitos sobre distúrbios de ansiedade e depressão, se mostrou efetivo também no tratamento de epilepsia, esquizofrenia e Doença de Parkinson. Seus metabólitos principais relacionados com os seus efeitos medicinais são os fitocanabinóides, usados para tratamento e alivio de sintomas. Os fitocanabinóides mais estudados da C. Sativa são o Δ9-tetrahidrocanabinol – THC, substância responsável pelos efeitos psicoativos da planta e o canabidiol – CBD. Realizar uma revisão bibliográfica sobre o uso de canabidiol em doenças neurológicas e suas principais indicações. Analisar quais são as maiores dificuldades encontradas em pacientes que fazem uso desses medicamentos no Brasil. Para a pesquisa foram coletados artigos em banco de dados como Scielo, LILACS, Google Acadêmico e PUBMED. Foram selecionados 10 artigos, na língua inglesa e portuguesa, com os seguintes descritores: Canabidiol, cannabidiol in neurological disorders, canabidiol no Brasil, Cannabis Sativa. O CBD possui um alto grau de importância por consistir o principal componente não psicoativo, presente em até 40% do extrato da planta. Foi isolado pela primeira vez em 1940, tendo sua estrutura química completamente elucidada apenas em 1963 e a partir de então se tornou alvo de diversos estudos experimentais, no Brasil, em 2015 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, autorizou a importação de CBD, para o tratamento de doenças específicas, porém exige laudos médicos, prescrições e termos de responsabilidade, um processo ainda burocrático. Estudos mostram que se faz necessário a implantação de medidas regulatórias para garantir o uso adequado de medicamento a base de canabinóides, sendo assim de grande importância a presença do profissional farmacêutico para realizar o acompanhamento nesse tipo de tratamento.

Publicado
2019-06-10
Como Citar
1.
Freitas AGP, Lucena KCL, Eduardo AM de L e N, Alcâtara GA de, Pinheiro GJ. O uso do canabidiol (CBD) em doenças neurológicas: uma análise da situação no Brasil. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 10º de junho de 2019 [citado 22º de julho de 2019];2(Esp.1):21. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/188

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##