Locais de propagação de Staphycoccus aureus, resistentes a meticilinam (mrsa), associadas ou adquiridas na comunidadE (CA-MRSA) e a oxacilina (SARO)

  • Eloídes Amorim Morais
  • Jorge Luiz Pereira de Oliveira
  • Emerson Herculano de Souza
  • Paulo de Brito Ricardo
  • José de Souza Soares
Palavras-chave: Resistência, Infecções, Bactérias

Resumo

As incidências de bactérias Staphycoccus aureus vêm ocasionando uma série de danos à saúde, especialmente devido à resistência a meticilina (MRSA), associadas ou adquiridas na comunidade (CA-MRSA) e a oxacilina (SARO), favorecido pela expansão de contaminações por contato interpessoal e por meio de objetos contaminados em universidades, hospitais e lugares públicos. Este estudo, objetiva descrever sobre os locais de propagações e contaminações do Staphycoccus aureus resistente a oxacilina e a penicilina. Este trabalho qualitativo transversal, foi baseado em publicações dos últimos 05 anos, através de artigos científicos obtidos nas bases Scielo e PubMed e livros técnicos. Diversos estudos relatam que os meios de maior propagação do SARO, MRSA e de CA-MRSA, são os objetos de banheiros, como torneiras e maçanetas das portas, que acabam disseminando para outros lugares próximos, como os bebedouros. Os sanitizantes e saneantes convencionais de limpeza não apresentam eficácia total na destruição das bactérias do gênero, devido à resistência adquirida as soluções antissépticas, além de sobreviverem por longos períodos em superfícies secas. As cepas SARO, MRSA e de CAMRSA, isoladas em diferentes trabalhos, exibem taxas de variações na sensibilidade dos antibióticos utilizados. O surgimento de microrganismos resistente é cada vez comum. A maioria das pessoas envolve o contato com microrganismo e grande parte não exibe conhecimento suficiente sobre a importância, prevalência e a resistência da atividade microbiana. A conscientização da comunidade, acadêmicos e profissionais de saúde e o investimento em pesquisas sobre resistências e prevalências das infecções mostra atualmente a medida mais eficaz ao surgimento de novas cepas resistentes e no controle das infecções.

Publicado
2019-06-10
Como Citar
1.
Morais EA, Oliveira JLP de, Souza EH de, Ricardo P de B, Soares J de S. Locais de propagação de Staphycoccus aureus, resistentes a meticilinam (mrsa), associadas ou adquiridas na comunidadE (CA-MRSA) e a oxacilina (SARO). Rev Inic Cient Ext [Internet]. 10º de junho de 2019 [citado 22º de julho de 2019];2(Esp.1):19. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/186

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##