Otimização no manejo do sangramento no peri-operatório por meio de hemoderivados

  • Karen Ascendino Rosa
  • Alice da Cunha Morales Álvares
Palavras-chave: Hemocomponentes, Hemoderivados, Assistência farmacêutica

Resumo

O manejo do sangramento em cirurgias eletivas pode ser realizado por meio de transfusão desangue e administração de hemoderivados. A transfusão de sangue, de forma não criteriosa,pode expor o paciente receptor a sérias complicações como a aquisição de doençastransmissíveis, reações transfusionais aumento no custo do tratamento. A utilização datransfusão sanguínea deve ser racional e deve-se levar em consideração o custo-benefício doshemoderivados. O farmacêutico pode contribuir nesse cenário uma vez que apresentacompetência, na assistência farmacêutica de medicamentos da mais alta tecnologia como oshemoderivados. Dessa forma, o objetivo desse trabalho foi apresentar dados que comprovem aviabilidade da administração de hemoderivados à saúde do paciente no manejo do sangramentoe enfatizar a contribuição do farmacêutico frente a assistência farmacêutica. Para isso, umapesquisa exploratória bibliográfica sistematizada, utilizando cinquenta artigos científicos sobre oassunto, foi realizada a partir da literatura disponível em sites Scielo, BIREME, PubMed, LILACSe os dados considerados foram a partir de relatos entre os anos 1995 a 2016. Dos 50 artigosanalisados, todos ressaltam os riscos de fazer transfusão sanguínea no peri-operátorio, e todosressaltam a melhora em que os pacientes no peri-operátorio tiveram com a utilização dehemoderivados. Esse levantamento permitiu registrar quantitativamente que os pacientessubmetidos aos hemocomponentes apresentaram reações adversas e maior permanência sobretratamento intensivo. Pacientes que receberam tratamento com hemoderivados nãoapresentaram nenhuma complicação cirúrgica e receberam alta antes do tempo estipulado. Pormeio da graduação, o farmacêutico adquire a competência da assistência farmacêutica edesenvolve habilidades voltadas à conscientização da proteção, promoção e recuperação dasaúde. Nesse ínterim, ele é o responsável pela aquisição de medicamentos emestabelecimentos de saúde como o hospital, local que trata o presente estudo por envolvermanejo de sangramento em procedimentos cirúrgicos. O diagnóstico do enredo do perioperatóriodos pacientes também cabe ao farmacêutico por meio da ficha individual e domonitoramento do trânsito dos medicamentos. Tendo em vista a ciência sobre os benefícios doshemoderivados, o farmacêutico estará munido de dados para atuar em uma equipemultiprofissional e expor um debate que otimizando a saúde do paciente.

Publicado
2019-06-10
Como Citar
1.
Rosa KA, Álvares A da CM. Otimização no manejo do sangramento no peri-operatório por meio de hemoderivados. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 10º de junho de 2019 [citado 20º de setembro de 2019];2(Esp.1):3. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/167