Florescimento organizacional e rotatividade

  • Bruna Nery Rosa
  • Antônio H. Costa Sousa Milhomem
  • Iel Marciano de Moraes Filho
  • Osmar Pereira dos Santos
  • Laylla Luanna de Mello Frasca
  • Ariana Fidelis
Palavras-chave: Florescimento Organizacional, Intenção de Rotatividade, Bem-estar no trabalho, Prática Profissional

Resumo

A face deste estudo foi aprimorar os conhecimentos adquiridos na disciplina de Estágio Básico em Psicologia Organizacional através da mensuração do florescimento organizacional e intenção de rotatividade em trabalhadores goianienses. Participaram desta pesquisa cem trabalhadores que atuam na cidade de Goiânia, formalmente empregados as normas da CLT. Como instrumento para coleta de dados foi utilizado um questionário virtual de autopreenchimento composto de cinco escalas que mediram as variáveis da pesquisa. A presente pesquisa se propôs a apresentar, interpretar e discutir as correlações entre as variáveis, por meio de uma abordagem quantitativa, cujos dados coletados foram analisados por aplicação de técnicas estatísticas paramétricas (cálculos de estatísticas descritivas: médias, desvio padrão, teste t e correlações). O tratamento e a análise dos dados foram realizados pelo software estatístico Statistical Package for the Social Science (SPSS), versão 18.0, que favoreceram a aplicabilidade de temas discutidos na disciplina. Os resultados obtidos demonstraram os trabalhadores se favorecem em contextos ao qual é possível perceber o florescimento no trabalho o que exerce forte e significativo impacto sobre a intenção de rotatividade dos profissionais, de forma que o florescimento na organização traduz em baixos indicies de intenção de rotatividade.

Referências

Carmo, G. D. Antecedentes da intenção de rotatividade: comprometimento organizacional e confiança do empregado na organização. Uberlândia. Dissertação [Mestrado em Ciências Humanas] Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2009.

Araújo, LF de. A psicologia positiva como fomentadora do bem-estar e da felicidade. 2013: 753-755.

Martins, E. S., Raasch, M., Gomes, C. C., Delevedove, O. A. Z.,Leite, F. K. Florescimento Organizacional e Desempenho: uma pesquisa com docentes de uma universidade pública. In Anais dos Colóquios Internacionais sobre Gestão Universitária XVII Colóquio Internacional de Gestão Universitária 2017; 2017 nov 22-24; Mar del Plata,Argentina. 2017. Florianópolis, Brasil, 2017.

Oliveira-Silva, L. C., & dos Santos Souza Silva, A. P. Florescimento no Trabalho: Interfaces com Comportamentos de Carreira. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 2015: 16(2).

Chiavenato, I. Recursos humanos. 5º são paulo: atlas, 1995, p.78

Moraes Filho, IM, de Almeida, RJ. Estresse ocupacional no trabalho em enfermagem no Brasil: uma revisão integrativa. Revista Brasileira em Promoção da Saúde [Internet]. 2016;29(3):447-454. Acesso em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=40849134018

Filho IM, Silva AM, de Almeida RJ. AVALIAÇÃO DO ESTRESSE OCUPACIONAL DE ENFERMEIROS DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. GS [Internet]. 11dez.2018 [citado 22fev.2019];9(3):335 -43. Available from: http://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/20288

Sá SCA, Silva RM, Kimura CA, Pinheiro GQ, Guido LA, Moraes-Filho IM. Estresse em docentes universitários da área de saúde de uma faculdade privada do entorno do Distrito Federal. Rev. Cient. Sena Aires. 2018; 7(3): 200-7.

Araújo BLS, Gomes DV, Pires VS, Moraes Filho IM, Costa ALS. Estresse Ocupacional em Docentes de uma Instituição de Ensino Superior da região metropolitana de Goiânia. REVISA. 2015; 4(2): 96-104.

Moraes Filho IM. As políticas públicas para promoção da saúde do trabalhador. REVISA. 2015; 4(2):75-7.

Jonos, DC, Machado OA. "Rotatividade De Pessoal: Estudo Em Uma Empresa De Terceirização De Serviços." Hórus .2017,10(1):41-59.

Questionário Virtual: <https://goo.gl/forms/5Dg7vhJzZHxEiDyw2> Disponível em 16/12/2018.

Agapito, P. R,, Polizzi Filho, A., & Siqueira, M. M. M. Bem-Estar No Trabalho E Percepção De Sucesso Na Carreira Como Antecedentes De Intenção De Rotatividade. RAM. Revista de Administração Mackenzie, 2015,16(6): 71-93

Siqueira, M. M. M., Gomide Jr, S., Moura, O. I., & Marques, T.M.. Um modelo póscognitivo para intenção de rotatividade: antecedentes afetivos e cognitivos [Resumo]. XXVI Congresso Interamericano de Psicologia. São Paulo. 1997

Fidelis. A. Significado do Trabalho e o Bem-Estar Psicológico: Um Estudo com Desempregados. Dissertação [Programa de Pós-Graduação STRICTO SENSU em Psicologia] - Pontifícia Universidade Católica de Goiás,2016.

Gapito PR; Polizzi Filho NA, Siqueira MMM. Bem-estar no trabalho e percepção de sucesso na carreira como antecedentes de intenção de rotatividade. Rev. Adm. Mackenzie. 2015; 16(6): 71-93.

Publicado
2019-02-27
Como Citar
1.
Rosa BN, Milhomem AHCS, Moraes Filho IM de, Santos OP dos, Frasca LL de M, Fidelis A. Florescimento organizacional e rotatividade. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 27º de fevereiro de 2019 [citado 19º de novembro de 2019];2(2):76-0. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/152

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>