O estado da arte da atuação da enfermagem na reprodução assistida

Palavras-chave: Infertilidade, Infertilidade Feminina, Infertilidade Masculina, Técnicas Reprodutivas, Enfermagem em Saúde Comunitária

Resumo

Analisou-se a produção científica da enfermagem sobre Reprodução Assistida - RA no Brasil no período de 2000 a 2017 e correlacionar as funções desenvolvidas pela a enfermagem no cuidado holístico e suas respectivas intervenções na diminuição do sofrimento familiar e resolutividade da temática transcorrida. Revisão integrativa da literatura científica acerca das funções da enfermagem em relação a RA. Optou por privilegiar periódicos de indexação científica, consultou os periódicos Capes e a biblioteca virtual da saúde, usou as bases de dados SciELO, Lilacs e Medline. Foram analisadas cinco categorias consideradas chave que foram: Etapas científicas e dados estatísticos; Aspectos sociais e especificidades; Reprodução Assistida e suas técnicas; Competências e participação da Enfermagem na R.A; Reprodução Assistida e os fatores legais, morais, jurídicos, psicológicos e religiosos. A atenção e a atuação da enfermagem frente ao cuidado da mulher e sua reprodução, traz grandes possibilidades para a profissão e precisa ser mais bem explorada e reconhecida
Descritores: Infertilidade; Infertilidade Feminina; Infertilidade Masculina; Técnicas Reprodutivas; Enfermagem em Saúde Comunitária.

Referências

Barros SMO. A enfermagem e a reprodução humana. Acta Paul Enf.2000; 13:207-213.

Silva ACV, Samperiz MMF, Mohallen AGC, Vargens OMC. Perfil de puérperas submetidas a métodos de reprodução assistida. Rev Enf Uerj. 2012. 20:185-190.

Fernandes K, Barros SMO. Avaliação do perfil reprodutivo dos casais assistidos no setor de reprodução humana da universidade federal de são Paulo. Acta Paul Enf. 2000. 13: 70-72.

Graner VR, Barros SMO. Complicações maternas e ocorrências neonatais associadas às gestações múltiplas resultantes de técnicas de reprodução assistida. Rev Esc Enf. 2009.43: 03-109.

Cunha MCV, Carvalho JA, Albuquerque RM, Ludermir AB, Novaes M. Infertility: association with common mental disorders and the role of social support. Ver psiquiatr Rio Gd Sul. 2008. 30( 3 ): 201-210.

Mascarenhas M, Flaxman S, Boerma T, Vanderpoel S, Stevens G. National, Regional, and Global Trends in Infertility Prevalence Since 1990: A Systematic Analysis of 277 Health Surveys. PLoS Medicine. 2012.9(12):e1001356.

World Health Organization et al. United Nations Children's Fund, United Nations Population Fund, & World Bank (2012). Trends in maternal mortality 1990 to 2010. Geneva: World Health Organization, 2010.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto Enferm. 2008.17(4):758-64.

Faria DEP, Grieco SC, Barros SMO. Efeitos da infertilidade no relacionamento dos cônjuges. Rev Esc Enf USP. 2012. 46(4): 794-801.

Dornelles LMN, Lopes RCS. Desafios para a maternidade no contexto da reprodução medicamente assistida: terceiro mês do bebê. Est de Psicol. 2010.15(3): 251-257.

Ferriani RA. Pesquisa com células Embrionárias e Reprodução Assistida. Editorial. 2005.

Cavalcante E, Juliano Y, Pereira DM, Catafesta E, Shimabukuro L, Cury MCFS, Cavagna M. Resultados das técnicas de reprodução assistida em mulheres doadoras de oócitos no ciclo de tratamento. Rev Bras Gineco e Obstet. 2005. 27(11):661-4.

Angelo ML, Moretto MLT, Lucia MCS. Os filhos da ciência: sobre a maternidade na reprodução assistida. Artigo Revista Mental.2009.12: 39-51.

Resolução CFM Nº 2.013/13, Adota as normas ética para a utilização das técnicas de reprodução, como dispositivos deontológico a ser seguido pelos médicos e revoga a Resolução CFM Nº 1.957/10.

Resolução CFM Nº 1.358/1992, Adota normas éticas para utilização das técnicas de reprodução assistida.

Monteiro CFA, Teixeira LC. Família e tecnologias reprodutivas: considerações sobre a transmissão psíquica geracional. Arq Bras de Psicol. 2011. 63 (2): 1-121.

Souza FMC, Carneiro AD, Morais GSN, Lopes MEL, Zaccara AAL, Duarte MCS. Inseminação Artificial Heteróloga: Implicações Bioéticas e Jurídicas. Rev Bras de Ciênc da Saúde. 2012.16 (3):419-426.

Leite TH, Henrriques RAH. Resolução CFM 1.957/10: Principais mudanças na prática da reprodução humana assistida. Rev bioét. 2011. 20(3): 413-416.

Moura MD, Souza MCB, Scheffer BB. Reprodução assistida: um pouco de história. Rev da SBPH. 2009. 12: 23-42.

Paula Ferreira LA, Junior LRS, Gonçalves LCS, Miyazaki MCO, Pinto MJC. Estresse em casais inférteis. 2014. Reprodução & Climatério. 29(3): 88-92.

Corrêa KRFD’C, Vizzotto MM, Cury AF. Avaliação da eficácia adaptativa de mulheres e homens inseridos num programa de fertilização in vitro. Psicologia em Estudo. 2007.12 (2): 363-370.

Braga MDGR, Amazonas MCLA. Família: maternidade e procriação assistida. Psicologia em estudo. 2005. 10(1): 11-18.

Moura ERF, Vieira RPR, Dias AA, Evangelista DR, Américo CF. Atenção básica e infertilidade: conhecimento e prática de enfermeiros da estratégia saúde da família. Rev enf UERJ. 2013. 21(2): 234-240.

Allan HT. A ansiedade da infertilidade: o papel das enfermeiras na clínica de fertilidade. Fertilidade Humana. 2013. 16 (1): 17-21.

Ashcroft S. Developing the clinical nurse specialist's role in fertility: do patients benefit?. Human Fertility. 2000. 3(4): 265-267.

Querino MS, Almeida SS, Oliveira SCS, Moraes-Filho IM. Ações da equipe de enfermagem na implementação da política de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais- revisão de literatura. Rev. Cient. Sena Aires. 2017; 6(1): 46-58.

Carvalho-Filha FSS, Viana LMM, Moraes-Filho IMM, Santos JC, Vilanova JM. Percepção dos profissionais de saúde acerca da diferença entre autonomia corporal e gravidez. Rev. Cient. Sena Aires. 2018; 7(1): 38-47.

Mesquita AL, Souza VAB, Moraes-Filho IM, Santos TN, Santos OP. Atribuições de enfermeiros na orientação de lactantes acerca do aleitamento materno. Rev. Cient. Sena Aires. 2016; 5(2): 158-70.

Publicado
2018-11-02
Como Citar
1.
Leite PA, Moraes Filho IM de, Félis KC, Leite A da CA, Leite Junior P da S, Guimarães CM. O estado da arte da atuação da enfermagem na reprodução assistida. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 2º de novembro de 2018 [citado 12º de novembro de 2019];1(Esp 4):390-9. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/126

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>